Anunciados vencedores do Prêmio Rodrigo 2020

  • 15/Dez/2020 14h43
    Atualizado em: 15/Dez/2020 às 14h51).

Do Tocantins, o projeto Memorial Quilombo Mumbuca, Vozes da Cultura Jalapoeira recebeu Menção Honrosa da Comissão Nacional de Avaliação

Disseminação de conhecimento, patrimônio imaterial e formação de profissionais. Essas são algumas das áreas com projetos vencedores na 33ª edição Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (Prêmio Rodrigo 2020). As 12 ações receberão R$ 20 mil em recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Outras cinco foram reconhecidas como menções honrosas. Organizada pelo instituto, a premiação acontece desde 1987 e é a maior na área do Patrimônio Cultural em todo o país, reconhecendo iniciativas de excelência e caráter exemplar.

Os vencedores são de Minas Gerais, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Ceará, Pernambuco, Amapá e Rio Grande do Norte. Além disso, cinco ações de Ceará, Bahia, Espírito Santo, Tocantins e Rio Grande do Sul foram agraciadas com menções honrosas. Os responsáveis por elas receberão certificados atestando o reconhecimento.

Os projetos passaram tanto pela análise das comissões dos respectivos estados quanto pela apreciação da Comissão Nacional de Avaliação, composta por 21 especialistas de renome na área do Patrimônio Cultural. Entre eles, estão técnicos, pesquisadores e professores universitários. Também fazem parte dela a presidente e os diretores dos cinco departamentos do Iphan.

“É com muita alegria que divulgamos o resultado do prêmio. Em um ano atípico, é extremamente gratificante para o Iphan manter uma iniciativa tão importante para a valorização do Patrimônio Cultural Brasileiro”, comemora a presidente do Iphan, Larissa Peixoto.

Vencedores e menções honrosas

Após as etapas de homologação das inscrições, análise das comissões estaduais e deliberação por parte da Comissão Nacional de Avaliação, as seguintes ações foram declaradas vencedoras do Prêmio Rodrigo 2020:

• MG: Fundação de Arte Ouro Preto | FAOP - Formação de Restauradores em estreita relação com comunidades de Minas Gerais;

• PE: Projeto Pátio Criativo;

• MS: Educação Patrimonial e aprendizagem histórica no Museu de Arqueologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul;

• RS: Caminho das Missões Jesuítico-Guarani - roteiro de peregrinação pelos Povos Missioneiros do Rio Grande do Sul;

• MT: Registro e Conservação da Paisagem Cultural de Kamukuwaká;

• CE: A criação do Museu Casa de Quinca Moreira na Comunidade de Salgado dos Moreiras como instrumento de preservação do patrimônio Histórico e Cultural da região Oeste da Ribeira do Curu;

• PE: Atividade Permanente da Sala Imbalança - Centro Cultural Cais do Sertão;

• RN: Rede Museu Histórico de São Vicente/RN para Salvaguarda do Patrimônio Cultural;

• AP: Projeto: Valorização das Línguas Crioulas do Norte do Amapá;

• RN: Nossos Entes - Vaqueiro tradicional nordestino;

• AP: Peixes e pesca: Conhecimentos e práticas entre os Povos Indígenas do Baixo Oiapoque, Amapá;

• PE: Patrimônio, por Eles Mesmos- Canal Babau e o registro de Salvaguarda do Mamulengo de Pernambuco, Patrimônio do Brasil.

Além disso, os seguintes projetos receberam menções honrosas da Comissão Nacional de Avaliação:

• CE: Revitalização da cultura dos brinquedos e brincadeiras tradicionais brasileiras;

• ES: Preservação e Resgate da História do povo Negro;

• BA: Museu Histórico-Cultural Espaço do Cordel e do Repente: Antônio Silva Vilas Boas - "Papada";

• TO: Memorial Quilombo Mumbuca: Vozes da Cultura Jalapoeira;

• RS: Lãs do RS.

33ª edição do Prêmio Rodrigo

Neste ano atípico, a organização do Prêmio Rodrigo teve que se adaptar à realidade de distanciamento social requerida pela pandemia de Covid-19. As inscrições, realizadas principalmente de forma online, foram um sucesso: a premiação bateu o recorde de 515 concorrentes.

A reunião da Comissão Nacional, etapa final do processo de análise das ações, também teve que se adaptar. Os especialistas deliberaram de forma totalmente online, respeitando a recomendação das autoridades de saúde de evitar aglomerações. Entre os critérios levados em consideração pelos jurados estão a excelência, a inovação e a originalidade, assim como a mobilização da comunidade, o compromisso ambiental e o uso de uma visão ampla do Patrimônio Cultural.

Além disso, em 2020, o Prêmio Rodrigo homenageia o Patrimônio Cultural Moderno. A construção do campo do Patrimônio Cultural no Brasil está intrinsecamente relacionada aos modernistas e ao movimento moderno da semana de 1922, razão pela qual a criação do Iphan, em 1937, trouxe contribuições do ponto de vista conceitual e de valores patrimoniais que ainda não eram trabalhados internacionalmente. (Fonte: comunicação/Iphan)