Tribunal do Júri condena dois homens por homicídio triplamente qualificado em Santa Rosa do Tocantins

  • 16/Dez/2020 15h08
    Atualizado em: 16/Dez/2020 às 15h23).

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) obteve nesta terça-feira, 15, a condenação de José Bonfim Ferreira dos Santos e Pedro Dias de Sena Ferreira a 20 anos de reclusão em regime fechado, pelo homicídio triplamente qualificado de Justina Bailon de Sales Dias. O crime aconteceu em julho de 2018, em Santa Rosa do Tocantins, e chocou a comunidade em razão da violência cometida contra a vítima.

Segundo o inquérito policial, os assassinos surpreenderam a vítima com diversos golpes de faca e pauladas utilizando um pedaço de madeira. O Laudo Pericial de Morte Violenta revelou que Justina Bailon sofreu os golpes quando já estava caída no chão, e o laudo necroscópico apontou anemia aguda como causa da morte, o que indica que a vítima agonizou e sangrou até ir a óbito.

Conforme a apuração, José Bonfim e Pedro Dias, companheiro e sobrinho da vítima, cometeram o crime para impedir que Justina Bailon comunicasse às autoridades o envolvimento dos dois no assassinato de uma terceira pessoa. Esse outro crime ainda está em fase de investigação.

O Tribunal do Júri considerou as três qualificadoras do crime sustentadas pelo promotor de Justiça Breno Simonassi durante a sessão, consistente em emprego de meio cruel, uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, além da ocultação do crime anterior. (Fonte: Ascom/MPTO)