Entidades Estudantis convocam mobilização nas ruas contra os cortes na educação

  • 06/Oct/2022 16h51
    Atualizado em: 06/Oct/2022 às 16h58).


Manifestações estão previstas para o dia 18 de outubro


Após o anúncio de um novo corte no orçamento da educação e que ameaça o funcionamento das universidades e institutos federais, a UNE (União Nacional dos Estudantes), a UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) e a ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos), convocam mobilização nacional para reverter o cenário.

As manifestações estão previstas para o dia 18 deste mês e os locais serão divulgados em breve. E, entre os dias 10 e 17 deste mês, acontecerão plenárias nas universidades e institutos federais.

A presidente da UNE, Bruna Brelaz, avalia que a área foi negligenciada durante o governo Bolsonaro, porém as manobras eleitoreiras no orçamento destroem qualquer projeto educacional. "Dessa vez, as universidades federais e os institutos terão todas as suas estruturas afetadas e a permanência dos estudantes é colocada em risco, o que representa um atraso e um desperdício do potencial deles, o que irá comprometer o futuro e o desenvolvimento do país."

Para Vinícius Soares, presidente da ANPG, Bolsonaro representa o inimigo máximo da educação. "Durante o seu governo o projeto de desmonte e sucateamento da educação pública foi intensificado e além disso depreciou toda a atividade de pesquisa no país, que as universidades públicas brasileiras são uma referência. É preciso barrar esse projeto"

Jade Beatriz, presidente da UBES, afirma que os cortes colocam em risco a atuação dos Institutos Federais na formação técnica de jovens. Além disso, a crise generalizada na educação somada à negligência social impossibilita até a alimentação escolar. "São alunos dividindo ovos, salários defasados, estruturas precárias: essa é a fotografia das escolas públicas no governo Bolsonaro".